Notícias

O Balé das Comunidades populares do Rio chega a Brasília

O grupo de 10 jovens bailarinos da Cia. Dançando para não dançar, o balé das comunidades populares do Rio de Janeiro, chega a Brasília, nesta quinta-feira (24), no aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, para participar da décima oitava edição do “Seminário Internacional de Dança de Brasília”, de 12 de julho a 03 de agosto, realizado no Teatro Nacional Claudio Santoro. Eles ficarão hospedados no Erron Hotel (Airam Brasília Hotel)

 

O Dançando para não dançar foi criado em 1995 com o objetivo de contribuir para a integração social de menores que vivem em total situação social de diversas favelas da cidade do Rio de Janeiro. Por meio de uma política de acesso à cultura, à educação e à profissionalização, o projeto utiliza o perfil lúdico da dança como instrumento de inserção social.

 

Hoje o projeto está em 13 dessas comunidades e atende a cerca de 500 crianças e jovens. E já tem um grupo de 20 jovens bailarinos já profissionalizados – a Cia Dançando para não dançar – que colocou sapatilhas de balé pela primeira vez com a entrada do projeto em sua comunidade.

 

De 2004 pra cá, o projeto vem popularizando a dança clássica ao fazer inúmeros espetáculos em locais públicos (praias, praças, feiras, parques, etc.) com esse grupo de bailarinos. Em 2007, a Companhia ganhou status profissional ao ser convidada do Programa Petrobras Cultural (que patrocina turnês do Grupo Corpo, Ballet Stagium, etc) e sair em turnê nacional por Brasília, São Paulo e Bahia, além de diferentes cidades no Estado do Rio de Janeiro (20 espetáculos).

 

“Sempre que podemos, participamos do Seminário Internacional de Dança de Brasília para fazer a integração social entre alunos de diversas cidades brasileiras com os bailarinos formados pelo projeto Dançando. Assim, podemos proporcionar aos nossos jovens a possibilidade de apresentar tudo que aprenderam durante a sua formação no projeto, dando-lhes a condição de se firmar no campo da dança e aumentar a sua renda familiar”, destaca Thereza Aguilar, coordenadora do projeto e diretora da jovem companhia de dança.

 

O Seminário, concebido e coordenado por Gisèle Santoro, é considerado como um dos mais importantes do país e referência internacional. Conta com um Corpo Docente de renome internacional e oferece cursos de diversas disciplinas práticas e teóricas de dança e teatro. Desde sua criação, o evento concedeu mais de 260 bolsas de estudos, estágios e contratos para jovens bailarinos brasileiros de talento.

 

“Para nós é mais uma oportunidade de fazer aulas com professores renomados, mundialmente, de outros países”, aponta Francisca Soares, hoje com curso superior em dança, por meio de um convênio entre o Dançando e a UniverCidade/RJ, que proporciona bolsas de estudos aos alunos do projeto.

 

Francisca é moradora do morro do Cantagalo e fez parte da primeira turma do Dançando (1995). Ela, também pelo projeto, fez especialização durante três anos na Alemanha, na Staatilicher Balletschule Berlin, e hoje ela é professora e membro da Cia Dançando para não dançar.

 

A Petrobras Distribuidora é o patrocinador do Dançando para não Dançar desde 1997. O projeto conta também com seguintes apoios: Faperj, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Video Filmes, Ministério da Cultura (por meio da Lei de Incentivo à Cultura), Brasas English Course, UniverCidade, Curso Ramos, Curso Daltro, Teatro Leblon, Teatro das Artes, Staatilicher Balletschule Berlin (escola alemã), Dance Theater of Harlem (Nova Iorque) e do Centro de Movimento Deborah Colker. Para participar do evento em Brasília, contou ainda com o apoio do Minc na concessão de passagens áreas.

 

Serviço:

Eron Hotel – SHN Quadra 05 bloco “A” -Telefone: (61) 2195.4000.

 

Informações Seminário: 3323-7089 ou 3273-3095

 

Tânia Aguilar

Assessoria de Imprensa

Dançando Para Não Dançar

Fone: (61) 9297-9749

taniaimprensa@gmail.com

Deixe uma resposta