Talentos

O trabalho desenvolvido pela Associação Dançando Para Não Dançar ultrapassou fronteiras. Escolas de dança de outros estados e do exterior têm oferecido bolsas de estudos para alunas do projeto. Isso representa o início da concretização do sonho desses jovens promissores.

 

Além da dança, o projeto vem investindo na formação dos jovens bailarinos, por meio de inscrições e despesas totais em audições no Brasil e no Exterior, bolsas de estudos em faculdades, cursos de línguas, pré-vestibulares e profissionalizantes. Bem como, inscrições em concursos públicos.

 

Aline Oliveira (Mangueira)

Entrou no projeto em 1998. Foi para especialização de um ano no Balé Nacional de Cuba, em 2002.

 

Amanda dos Santos (Cantagalo)

Entrou no projeto em 1998. É monitora no projeto de balé e de informática e membro integrante da Cia Dançando Para Não Dançar.

 

Ana Paula Oliveira (Cantagalo)

Entrou no projeto em 2000. É monitora e membro integrante da Cia Dançando Para Não Dançar. Iniciou a faculdade de Dança, na UniverCidade, em 2008.

 

Bárbara Mello (Cantagalo)

Em 1996, o projeto a inscreveu na audição da Escola de dança Maria Olenowa, passou. Em 1998, foi selecionada na audição realizada pelo projeto para um intercâmbio de 15 dias, na Staatilicher Balletschule Berlin, na Alemanha. Em 1999, a jovem foi selecionada para especialização de cinco anos na escola em Berlin. Se destacou e conseguiu dançar primeiros papéis naquela cidade e na Cia de Magdeburg, em 2004. Após a conclusão do curso, foi contratada como solista pela Cia Volkstheater, em Rostock.

 

Contratada como solista na Staatstheater Schwerin (Companhia Estadual de Ballet Schwerin), cidade de Schwerin/Alemanha. Fez o primeiro papel do balé Romeu e Julieta, de Shakespeare, que estreou em setembro de 2007.

No momento, segue carreira internacional como solista no Teatro de Dortmund, Alemanha, e conquistou, em 2013, o título de melhor bailarina da cidade e o prêmio de quatro mil euros.

 

Bruno Silva (Mangueira)

Foi para especialização no Centro de Movimento Deborah Colker (2005). É monitor do Dançando na Cultura e membro integrante da Cia Dançando Para Não Dançar. Faz curso de Inglês no Brasas.

 

Daiane Batista (Rocinha)

Passou na audição da Escola de Dança Maria Olenewa. Foi para especialização na Staatilicher Balletschule Berlin, na Alemanha, em 2005. De volta ao Brasil, Faz especialização no Centro de Movimento Deborah Colker (2007). É monitora no projeto e membro integrante da Cia Dançando Para Não Dançar. Faz alemão no curso Baukurs (2008).

 

Debora Goulart (Cantagalo)

Por iniciativa da mãe, foi inscrita no projeto aos 7 anos de idade e, aos 8, já frequentava as aulas de balé no Ciep Presidente João Goulart, em Ipanema. Muito introvertida na infância, inclusive por ser mais alta do que a maioria na turma de iniciantes, teve o primeiro despertar pela dança a partir da primeira aula com sapatilhas de ponta.

Quando conseguiu conciliar os horários e atividades do colégio com os do projeto, passou também a fazer aulas com as meninas maiores e a se envolver mais com o grupo. Em dado momento, começou a frequentar a sede da Escola de Balé das Comunidades, no Centro da cidade, e a ensaiar no Cantagalo. A evolução se deu natural e gradativamente.

Em 2011, foi admitida na Escola de Dança Maria Olenewa e, mais à frente, teve de enfrentar o desafio de morar na Alemanha, dando início a uma nova etapa. Desde 2012, é aluna da conceituada Staatilicher Balletschule Berlin, com que o projeto mantêm convênio.

 

Fernanda Duarte (Rocinha)

Entrou no projeto em 2000. Foi encaminhada à especialização no Grupo Corpo, em Belo Horizonte, em 2007. É monitora no projeto e membro integrante da Cia Dançando Para Não Dançar. Faz curso de Inglês no Brasas.

 

Francisca Soares (Pavão-Pavãozinho)

Fez parte das primeiras turmas do Dançando. Em 1996, o projeto a inscreveu na audição da Escola de dança Maria Olenowa, passou. Foi estudar naStaatilicher Balletschule Berlin, na Alemanha, em 1999, junto com Bárbara. Voltou ao Brasil após três anos de especialização.

Por meio do projeto, iniciou a faculdade de Dança, na UniverCidade, em 2004. Começou a ministrar aulas no projeto. Foi selecionada para o filme “Maré, nossa história de amor”, de Lúcia Murat. É membro integrante da Cia Dançando Para Não Dançar. Formou-se em Dança, em abril de 2008. Tem registro profissional concedido pelo Sindicato dos Artitas do Rio de Janeiro. É professora do Projeto. Faz alemão no curso Baukurs (2008).

 

Ingrid Silva (Mangueira) - Depoimento

Faz parte das primeiras turmas do Dançando. Fez especialização no Centro de Movimento Deborah Colker e no Grupo Corpo, em Belo Horizonte. Iniciou o curso superior em Dança, na UniverCidade e fazia parte da Cia Dançando Para Não Dançar. Foi selecionada para o filme “Maré, nossa história de amor”, de Lúcia Murat. Fez audição nos Estados Unidos, em 2007, e foi selecionada para a Dance Teather of Harlen, em Nova Iorque. Permanece se especializando, com chance de uma promissora carreira internacional.

 

Isaura Germano (Mangueira)

Entrou no projeto em 1997. Foi para especialização no Centro de Movimento Deborah Colker. É monitora no projeto e membro integrante da Cia Dançando Para Não Dançar.

 

Júlio César (Cantagalo)

Entrou no projeto em 2000. Passou na audição da Escola de Dança Maria Olenewa. Foi selecionado, com mérito técnico, para a turnê do Centro Cultural Ópera Brasil, de Fernando Bicudo. Percorreram o país, em 2003, com o espetáculo Terra Brasis. Atualmente faz dança na Suíça, contratado como coreógrafo.

 

Luan Donato (Morro da Lagartixa / Turma da Mangueira)

Entrou no projeto em 2004. Dividia seu tempo entre aulas de balé, estudo normal e apresentações da Cia Dançando Para Não Dançar. Foi selecionado para a Staatilicher Balletschule Berlin, na Alemanha. Viajou no final de março de 2008.

Formou-se em 2011, com bacharelado em Artes. O bailarino foi contratado como solista na Companhia do Teatro Landesbühne Sachsen in Dresden, na Alemanha, com a direção de Reiner Feistel.

 

Marcela Monteiro (Mangueira)

Passou na audição da Escola de Dança Maria Olenewa. Foi para especialização na Staatilicher Balletschule Berlin, na Alemanha, em 2004. No Brasil, fez especialização no Centro de Movimento Deborah Colker (2005). Hoje está trabalhando na área como membro integrante da Cia Deanima.

 

Marcele Almeida (Rocinha)

Entrou no projeto em 2000. Foi para especialização no Centro de Movimento Deborah Colker. É monitora e membro integrante da Cia Dançando Para Não Dançar.

 

Márcia Freire (Pavão-Pavãozinho)

Em 1998, foi selecionada, com mais seis alunos, na audição realizada pelo projeto para um intercâmbio de 15 dias, na Staatilicher Balletschule Berlin, na Alemanha. Foi para especialização no Balé Nacional de Cuba, em dois momentos: 2002/2004. Em 2003, foi selecionada, com mérito técnico, junto com o aluno Júlio César, para a turnê do Centro Cultural Ópera Brasil, de Fernando Bicudo. Percorreu o país, durante um ano, com o espetáculo Terra Brasis.

Ao retornar de Cuba, a aluna iniciou o curso superior em Dança, na UniverCidade, no Rio. Foi contratada pelo Ballet Stagium, em São Paulo. Atualmente, cursa a Faculdade de Pedagogia, na UNINOVE, em São Paulo, com apoio do projeto. Foi para a Alemanha e após audição foi contratada pelo Ballet Kiel.

 

Maria Gabriela Aguilar (Cantagalo)

Fascinada pelos saltos e piruetas dos bailarinos, e apesar da advertência da mãe, Thereza, sobre a disciplina e rigor que o balé impõe, decidiu arriscar-se e entrou no projeto aos 7 anos de idade.

Em 2005, foi aprovada no concurso da Escola de Dança Maria Olenewa, onde logo se destacou pela aplicação e desenvoltura. Frequentou durante cinco anos aulas diárias no Dançando Para Não Dançar e na escola do Theatro Municipal e participou das apresentações da companhia.

Depois de participar do Seminário Internacional de Dança de Brasília em 2010, decidiu abraçar definitivamente a profissão e expandir seus horizontes em busca do aperfeiçoamento no exterior. Após três meses de estágio na Staatliche Balletttschule Berlin (Alemanha), fez exame e foi aprovada como aluna da prestigiada escola, onde está desde novembro de 2011.

 

Mayara Alves da Silva (Cantagalo)

No final de 2013, receberá o diploma da Faculdade de Dança da UniverCidade, ao qual teve acesso através do projeto, em que ingressou aos 10 anos de idade, em 2002. Aos 15, assumiu o monitoramento de algumas turmas das comunidades beneficiadas pelo Dançando Para Não Dançar, a começar pelo Cantagalo.

Dar  aulas no Jacaré, na Mangueira, no Chapéu Mangueira. Atualmente, ensina  também, os primeiros passos às crianças da turma baby “class” da creche Cantinho Feliz, em Santa Teresa.

Aos 16 anos, foi aprovada para integrar a Cia. Dançando Para Não Dançar , participando de apresentações em Brasília, São Paulo, Salvador,  além de Macaé e Rio das Ostras , no interior do Estado do Rio de Janeiro. Em março de 2012, foi selecionada para aprimorar seus conhecimentos no exterior, através do programa de intercâmbio do projeto com a renomada escola Staatilicher Balletschule Berlin, da Alemanha.

 

Paulicéia Borges (Mangueira)

Entrou no projeto em 1997. Foi para especialização na Staatilicher Balletschule Berlin, na Alemanha, em 2004. É monitora no projeto, de balé e de informática, e membro integrante da Cia Dançando Para Não Dançar. Faz alemão no curso Baukurs (2008).

 

Raisa Gregório (Rocinha)

Ingressou no projeto em 2005, na turma iniciante. Seu desempenho chamou a atenção do professor do projeto e primeiro-bailarino do Theatro Municipal Paulo Rodrigues, que, depois de realizar testes, selecionou-a para ter aulas com a turma avançada, no Cantagalo.

Em 2007, passou a atuar na recém-criada Cia Dançando Para Não Dançar, com que faz apresentações em Macaé, Rio das Ostras, Paraty, Salvador, São Paulo e Brasília, além de frequentes exibições na capital fluminense.

Monitora da Rocinha, atualmente é professora da turma “baby class” (formada por crianças).

Conclui este ano os estudos na Faculdade de Dança da UniverCidade.

 

Rômulo Pereira (Cantagalo) - Fotos

Entrou no projeto em 2000. Foi para especialização no Centro de Movimento Deborah Colker. É monitor do Dançando na Cultura e membro integrante da Cia Dançando Para Não Dançar. Iniciou a faculdade de Dança, na UniverCidade, em 2008.

Depois de praticar jiu-jitsu e fazer aulas de jazz, decidiu seguir os passos da irmã, a bailarina e monitora do projeto Samara Mello, e fez exame de admissão para o Dançando Para Não Dançar, no Ciep Presidente João Goulart, ingressando em 2000.

Através do projeto, frequentou a Escola de Dança Maria Olenewa e o Centro de Movimento Deborah Colker. Integrante da Cia do Dançando, se apresenta com o grupo em eventos no Rio de Janeiro e em outras cidades, como Paraty e Brasília (onde teve a oportunidade de participar do Seminário Internacional de Dança).

Estreou em um dos balés de repertório da Cia. Dançando Para Não Dançar, “Gabriela: Ritmos Amados” e, devido a seu empenho e desenvolvimento, conquistou o posto de solista em outros espetáculos, como no pas de deux de “Coppélia”, de Arthur Saint-León, e no pas de trois de “Paquita”, de Marius Petipa.

Iniciou a faculdade de Dança, na UniverCidade, em 2008.

 

Ronan Silva (Mangueira) - Depoimento

Passou na audição da Escola de Dança Maria Olenewa. Foi selecionado para a Staatilicher Balletschule Berlin, na Alemanha. Viajou em 2005, aprimorando seus conhecimentos até ser contratado pelo Ballet Leipzig no primeiro semestre de 2013.

 

Samara Mello (Cantagalo) – Fotos

Solista da Cia Dançando Para Não Dançar, que se exibe com regularidade no Estado do Rio e em outras capitais brasileiras (como Salvador, São Paulo e Brasília), ingressou no projeto aos 7 anos de idade, em 1999, e frequentou as aulas da Escola de Dança Maria Olenewa de 2002 a 2008.

Participou do musical “Isaurinha – Samba, Jazz & Bossa Nova, sobre a cantora Isaura Garcia, estrelado por Rosa Maria Murtinho, e do Seminário Internacional de Dança de Brasília, de Gisèle Santoro, em 2011. Viajou para São Paulo, a fim de aprimorar os estudos no Ballet Stagium. Em 2012, embarcou para a Alemanha para um intercâmbio de 15 dias na Staatilicher Balletschule Berlin.

Cursa a Faculdade de Dança da UniverCidade e é professora das turmas da sede da Escola de Balé das Comunidades (Centro) e do Cantagalo.

 

Taynnara Ribeiro (Cantagalo)

Aluna bolsista da Escola Técnica do Liceu Franco Brasileiro, desde menina sonhava em ser bailarina. Inscreveu-se no projeto aos 5 anos de idade e, aprovada no teste, entrou na unidade de Ipanema em 2000.

É integrante da Cia Dançando Para Não Dançar há seis anos, através da qual apresentou-se em  diversas cidades do Estado do Rio – Paraty, Macaé, Rio das Ostras – e, ainda, em Salvador, São Paulo e Brasília.

Prepara-se para prestar o vestibular para Engenharia Química.

 

Valéria e Jorge

Os dois irmãos fazem parte das primeiras turmas do Dançando. Em 1995, o projeto os inscreveu na audição da Escola de Dança Maria Olenewa e eles passaram. Em 1998, foram selecionados, com mais quatro alunos, na audição realizada pelo projeto para um intercâmbio de 15 dias, na Staatilicher Balletschule Berlin, na Alemanha. Valéria e o irmão permaneceram no projeto até 1999, quando receberam convite para uma academia de dança Versalles.

 

Vanessa Duarte (Rocinha)

Entrou no projeto em 1997. É monitora no projeto e membro integrante da Cia Dançando Para Não Dançar.

 

Viviane Alves (Vidigal)

Entrou no projeto em 1997. Foi para especialização no Centro de Movimento Deborah Colker (2005). Hoje está trabalhando na área como membro integrante da Cia Deanima.