Notícias

Balé para as Escolas

O Projeto Dançando Para Não Dançar se apresenta nos dias 27 e 28, respectivamente às 10h e às 14h, no Teatro Gonzaguinha, para 400 alunos da Escola Municipal Calouste Gulbenkian. Esses são os primeiros de uma série de espetáculos que a companhia de dança, oriunda das comunidades populares do Rio de Janeiro, fará no teatro para escolas da rede municipal de ensino. Isso se deu graças à parceria da Associação Dançando Para Não Dançar e o Centro Calouste Gulbenkian, que é integrado à estrutura da Secretaria Municipal de Cultura.

 

No repertório, trechos de balé clássico e Favela – a mais nova montagem do grupo, com músicas de MV Bill e do maestro Leandro Braga. Favela é um balé de hip hop com concepções clássicas e contemporâneas de dança. Foi essa a forma concebida pelo “Dançando” para retratar e dar expressão à linguagem corporal e musical das comunidades onde atua. A direção geral é da bailarina e coordenadora do projeto, Thereza Aguilar, e a direção artística de Paulo Rodrigues, primeiro bailarino do Teatro Municipal.

 

Projeto – Criado em 1995, o Dançando Para Não Dançar conta com o patrocínio da Petrobras desde 1997. A nova parceria com o Centro Calouste torna possível a montagem de espetáculos no teatro para receber as escolas. “Além de proporcionar o acesso das crianças à arte da dança, a proposta dos espetáculos abre perspectiva profissional que ajuda os jovens bailarinos a viabilizar economicamente a sua permanência na carreira”, pontua Thereza. Esse foi o objetivo de criar a companhia de dança: popularizar o balé e dar aos jovens formados pelo projeto a chance de continuarem a formação profissional na área da dança e criar mecanismos para a geração de renda.

 

Para inscrever a escola para assistir ao balé no teatro, a direção da instituição interessada precisa encaminhar e-mail para o endereço eletrônico do Dançando Para Não Dançar – projetodancando@ig.com.br

 

O Centro foi criado em 11 de março de 1971, na Praça Onze, e recebe o nome de Calouste Gulbenkian em homenagem à Fundação Calouste Gulbenkian, instituição cultural portuguesa sediada em Lisboa. A nova estrutura devolveu ao Centro sua importância como Pólo de Serviço Municipal para atender aos interesses da população nas áreas cultural, artística e social, e o transformou num equipamento uno, onde arte, cidadania e educação se congregam.

 

 

Mais informações:

 

Sobre o Dançando – O Dançando Para Não Dançar utiliza o perfil lúdico do balé clássico como instrumento de inclusão social e de cidadania. Os principais alvos são a profissionalização de jovens, o incentivo à participação cultural e o combate à exclusão social, ao proporcionar acesso à formação em uma profissão que dificilmente jovens carentes ingressariam. Hoje atua em 15 comunidades, além da escola de dança no centro da cidade, e atende cerca de 1000 crianças e jovens.

 

Sobre a Cia – Mesmo antes da oficialização da Companhia, em 2007, os bailarinos já se apresentavam há três anos em palcos montados em praças, praias, parques, feiras populares, comunidades, estações de trem (Central do Brasil) e metrô. Além das apresentações a convite de instituições, públicas e privadas, como escolas, universidades e até mesmo em presídios. Apresentaram-se também em diferentes teatros, inclusive no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Também se apresentaram no Palácio do Planalto, quando o projeto recebeu o Prêmio “Objetivos do Milênio”, em 2005.

 

Sobre a Fundação – A Fundação Calouste Gulbenkian foi criada em 1956, por disposição testamentária de Calouste Sarkis Gulbenkian. A sede é em Lisboa e tem ainda uma Delegação no Reino Unido (UK Branch) e um Centro em Paris (Centro Cultural Calouste Gulbenkian).

 

Parcerias – O Dançando Para Não Dançar é patrocinado pela Petrobras e tem como parceiros o Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet, a Vídeo Filmes, o Governo do Estado do Rio de Janeiro – Secretaria de Cultura, Faperj e Programas Mais Cultura; Ponto de Cultura e Cultura Viva. Conta também com os apoios das Associações de Moradores das comunidades beneficiadas, da Vila Olímpica da Mangueira, dos Cieps Ayrton Senna, Salvador Allender e João Goulart, do Teatro Leblon, do Teatro das Artes, da UniverCidade, do curso de inglês Brasas, do curso de alemão Baukurs, do Instituto Master de Cultura e do Centro Calouste Gulbenkian, além de convênios mantidos com a Staatliche Ballettschule Berlin e Balé Nacional de Cuba.

 

 

Mais informações no site www.dancandoparanaodancar.org.br

 

Imprensa:

Tânia Aguilar (21)7876-5384 ou 10*1637 (rádio) ou (61) 9297-9749 – taniaimprensa@gmail.com

Fernanda Santos – (21) 9103-4010 – santos.fernanda@uol.com.br

 

Serviço

Dançando Para Não Dançar

Dias 27 (sexta) e 28 de maio (sábado)

Horários: 10h e 14h

Local: Teatro Gonzaguinha – Rua Benedito Hipólito, 125 – Praça Onze – Centro

Capacidade: 100 lugares

Deixe uma resposta