Notícias

Balé faz tributo a Villa-Lobos

A PETROBRAS DISTRIBUIDORA e o Dançando para não Dançar apresentam o espetáculo de balé Amazônia: Floresta do Brasil, uma homenagem Heitor Villa-Lobos, dias 29 e 30 de novembro, às 17 horas, no Teatro João Caetano, na Praça Tiradentes – Centro. Entrada Franca.

 

Cerca de 400 crianças, alunos do projeto Dançando para não Dançar se revezarão no palco para celebrar o grande mestre e compositor brasileiro. E não é por menos, a criança brasileira esteve sempre presente na expressão musical de Villa-Lobos, desde a sua juventude. Villa-Lobos musicou diversas cantigas popular-folclóricas que atravessaram séculos e fronteiras para fazer parte da infância de inúmeras gerações. É com esse espírito que o “Dançando…” vai resgatar as cirandas do compositor num espetáculo lúdico, que alegrará as alminhas e os corações das crianças cariocas e de seus pais que serão remetidos à infância.

 

Os bailarinos e professores Thereza Aguilar e Paulo Rodrigues, primeiro bailarino do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, assinam, respectivamente, a direção-geral e a direção artística do espetáculo, bem como as coreografias. A direção musical é do maestro Leandro Braga. Leandro Braga fez os arranjos das músicas de Villa-Lobos incluídas na trilha sonora e compôs as demais canções inspirados no trabalho do mestre compositor. O cenário é de Liane Espírito Santo. O espetáculo contará com a participação especial do bailarino Carlos Cabral, solista do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

 

 

Segundo a diretora geral, duas grandes causas motivaram a criação deste balé. A primeira foi homenagear o compositor ao resgatar suas cirandas. A segunda é o compromisso do “Dançando…” de trabalhar a formação da consciência cidadã e despertar em cada um dos 480 aprendizes de bailarinos do projeto, a co-responsabilidade de preservar o maior patrimônio ambiental que é a Floresta Amazônica.

 

“Num mundo cheio de violência, onde as pessoas cada vez menos se sentem indignadas com a miséria, com a exclusão de muitos, com as injustiças, com as tragédias envolvendo crianças, precisamos resgatar a infância, o lúdico, as brincadeiras, os sonhos. Além disso, as crianças são o futuro do nosso país. Elas precisam desde já ter consciência da importância da Amazônia para a humanidade. É esse o nosso propósito”, enfatiza Thereza.

 

Crédito: João Lopes

Na foto: Fernanda Duarte, bailarina do projeto, e Carlos Cabral, solista do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, dançam o Pas de deux de Melodia Sentimental – “A LUA”.

O espetáculo inicia as homenagens do cinqüentenário de morte do compositor, que fez sua última viagem em 1959. É o resultado de muito trabalho e dedicação. Os diretores, Thereza e Paulo, começaram os ensaios nas treze comunidades beneficiadas pelo projeto no mês de julho.

 

História – Amazônia – Floresta do Brasil é baseada na vida do próprio Villa-Lobos. Ele sempre esteve à frente do seu tempo. Já era um ecologista, um cidadão político e ecologicamente correto, quando ainda não existia desmatamento, efeito estufa, aquecimento global e a Amazônia não estava ameaçada. Villa-Lobos foi quem primeiro apresentou ao mundo os sons da nossa floresta – sons do vento, da água e de seus animais. Ficou conhecido como o índio branco.

 

Em dois atos, com duração de uma hora, o Dançando para não dançar apresenta a história do índio Tuhú (o índio branco), que volta à aldeia e se apaixona pela índia Manthuala. Essa paixão despertou nele o amor por suas raízes. Ele passou a dividir com a índia o ofício de ensinar as crianças dos povos da floresta a manter suas tradições e cultura e proteger a floresta.

 

Essa história também foi inspirada na lenda Manthuala, do compositor paraibano Jairo Mozart e de Fidélia Cassandra.

 

Serviço

 

Evento: AMAZÔNIA – FLORESTA DO BRASIL

Espetáculo de balé do Dançando para não dançar

Dia: 29 e 30 de novembro

Horário: às 17h

Local: Teatro João Caetano – Praça Tiradentes, S/n – Centro.

Ingressos: Grátis. Capacidade: 1140 lugares. Duração: 1 hora

 

Informações:

Luiz Moraes (21- 7814-4333) luizinhomoraes@oi.com.br

Fernanda Santos (21- 9103-4010) santos.fernanda@uol.com.b

 

Tânia Aguilar

Assessoria de Imprensa ::: Dançando Para Não Dançar

Fone: (61) 9297-9749 taniaimprensa@gmail.com

Deixe uma resposta