Notícias

Bailarinas vão fazer intercâmbio na Alemanha

Dos morros para o mundo

 

Na semana que antecede o carnaval, duas bailarinas dos morros do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho deixam o Rio de Janeiro para concretizar o que para elas era uma “fantasia”: estudar em uma das principais escolas de balé do mundo: a Staatliche Ballettschule Berlin, na Alemanha.

 

O Projeto Dançando Para Não Dançar, a Staatliche Ballettschule Berlin e a UniverCidade se anteciparam ao Ano da Alemanha no Brasil: 2013 e fecharam um intercâmbio sócio-cultural.

 

De acordo com o convênio, alunos do Curso Licenciatura em Dança da citada faculdade farão aperfeiçoamento na pedagogia/metodologia da Ballettschule Berlin. Eles vão aprender a dar aulas e acompanhar todo o processo de formação dos seletos alunos da escola alemã.

 

Em contrapartida, o mestre alemão Oannis Tendas vem ao Brasil no mês de abril (de 3 a 13) conhecer o trabalho realizado pelo Dançando Para Não Dançar e dar aulas para monitores e alunos do projeto nas comunidades, bem como realizar atividades na faculdade.

 

As primeiras alunas viajam para Berlin no dia 13 de fevereiro. Samara Pereira e Mayara Alves são monitoras do Dançando Para Não Dançar e fazem curso superior de Dança na UniverCidade. As duas estão no 3º semestre do curso de Dança.

 

“As aulas de Oannis Tendas preparam corpo e alma para a dança. Ele vai revolucionar o Dançando Para Não Dançar”, explica Thereza Aguilar – idealizadora e coordenadora do projeto e ex-aluna da Staatliche Ballettschule Berlin, nos anos 80.

 

Segundo a coordenadora, a cultura e o intercâmbio cultural têm um significado especial por dar oportunidade e democratizar o acesso. As especificidades de uma cultura e a sua capacidade de diálogo são essenciais no mundo globalizado.

 

“O Dançando Para Não Dançar está abrindo mais um espaço para que nós (monitores e alunos) possamos dar longos passos rumo à profissionalização e para levar o nosso trabalho para o mundo”, ressalta Samara Pereira.

 

As relações entre Alemanha e Brasil têm uma longa tradição e também muita vitalidade atualmente, em todas as áreas. 2013 foi oficializado o Ano da Alemanha no Brasil durante a visita do Ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle, ao Brasil no ano passado. Com o apoio do então presidente Lula, o projeto começou a ser discutido por importantes entidades e empresas alemãs no País e já está ganhando forma.

 

Monitoras – Samara Pereira (19 anos) é da Comunidade Pavão- Pavãozinho. Entrou no projeto em 2004. Divide seu tempo entre aulas de balé, estudo normal e apresentações da Cia Dançando Para Não Dançar. È monitora de balé clássico e dança na CIA Dançando Para Não Dançar. Está na UniverCidade fazendo o Curso Licenciatura em Dança. Já Mayara Alves tem 20 anos e é do Cantagalo. Entrou no “Dançando em 2005.” A jovem bailarina também é monitora de balé clássico e dança na CIA Dançando Para Não Dançar.

 

Dançando – O Dançando Para Não Dançar utiliza o perfil lúdico do balé clássico como instrumento de inclusão social e de cidadania. Os principais alvos são a profissionalização de jovens, o incentivo à participação cultural e o combate à exclusão social, ao proporcionar acesso à formação em uma profissão na qual dificilmente estes jovens ingressariam. Hoje atua em 12 comunidades – Rocinha, Cantagalo, Pavão-Pavãozinho, Mangueira (1997), Chapéu-Mangueira (1998), Babilônia (1999), Morro dos Macacos (2000), Jacarezinho (2001), Tuiutí, (2002), Salgueiro (2003), Dona Marta (2004) e Morro do Borel (2007), além da escola de dança no centro da cidade, e atende cerca de 840 crianças e jovens.

 

Parcerias – O projeto “Dançando Para Não Dançar” é patrocinado pela Lei de Incentivo à Cultura – Governo Federal – País Rico é País sem Pobreza; e pela Petrobras, desde 1997. Conta com as parcerias da Faperj, VideoFilmes, Wellstream do Brasil Indústria e Serviços Ltda, Governo do Estado do Rio de Janeiro – Secretaria de Estado de Cultura, e Programas Ponto de Cultura , Mais Cultura e Cultura Viva.

 

Também tem parcerias com as Associações de Moradores das comunidades beneficiadas, da Vila Olímpica da Mangueira, dos Cieps Ayrton Senna, Salvador Allende e João Goulart, do Teatro Leblon, do Teatro das Artes, da UniverCidade, do curso de inglês Brasas, do curso de alemão Baukurs além de convênios mantidos com a Staatliche Ballettschule Berlin e Balé Nacional de Cuba.

 

Imprensa

 

Fernanda Santos

Nextel 77095470 – ID – 10*132859

santos.fernanda@uol.com.br

 

Tania Aguilar

Assessoria de Imprensa e Divulgação. Nextel: (21) 7719-1632

ID: 88*40683 – e-mail: taniaimprensa@gmail.com

Fotos: João Lopes

Deixe uma resposta