Notícias

Parceria com a Cidadania: Companhia de balé se apresenta para alunos de escola pública

A Petrobras apresenta: Cia. Dançando Para Não Dançar. A única companhia de balé formada exclusivamente por bailarinos de comunidades populares do Rio de Janeiro faz um espetáculo nesta quarta-feira (16), às 16h30, no Teatro da Faetec, em Quintino, durante o evento Republica y Belleza Fashion Day (título une inglês e espanhol), promovido pela Equipe de Língua Estrangeira da Escola Estadual de Ensino Fundamental República.

 

Segundo a organização, professores e alunos da escola estarão reunidos para debater a importância do acesso a outras culturas e idiomas. O objetivo é aproximar os alunos das culturas estrangeiras – inglês e espanhol – e promover a auto-estima, o asseio e o bem-estar. Além do balé, que encerrará a programação, a palestra da consultora de moda Érica Paula sobre o tema: Uniforme X Disforme.

 

“O projeto Dançando Para Não Dançar, que propõe o desenvolvimento social e artístico das populações mais carentes do Rio de Janeiro, foi convidado por ser um ilustre exemplo que, com empenho e talento, qualquer pessoa pode romper barreiras”, afirma a professora Adriana Albuquerque.

 

O projeto – O Dançando Para Não Dançar foi criado em 1995 e é patrocinado pela Petrobras desde 1997. Utiliza o perfil lúdico do balé clássico como instrumento de inclusão social e de cidadania ao proporcionar acesso à formação em uma profissão que dificilmente jovens carentes ingressariam.

 

Os alvos principais são a profissionalização de jovens, o incentivo à participação cultural, o combate à exclusão social, contribuindo, assim, para a diminuição da violência e da vulnerabilidade sócio-econômica.

 

Além das aulas de dança, inclui suporte sócio-educativo, com aulas de informática e reforço escolar; assistência médica e orto-dentário e acompanhamento com assistente social, psicólogo e fonoaudióloga, inclusive para os familiares. Atualmente, o projeto atende a cerca de 480 crianças e jovens, de 7 a 19 anos, dos morros da Rocinha, Mangueira, Cantagalo, Pavão-Pavãozinho, Chapéu Mangueira, Babilônia, Macacos, Tuiuti, Jacarezinho, Salgueiro, Dona Marta e em Oswaldo Cruz.

 

Além do patrocínio da Petrobras, o projeto conta com o apoio do ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet, da Faperj, da Video Filmes, da Lufthansa, do Teatro Leblon, do Brasas English Course e da UniverCidade. Também mantém convênios com a Staatliche Ballettschule Berlin (escola de dança alemã).

 

Imprensa

Tânia Aguilar – (61) 92517809 ou 92979749
tania.imprensa@gmail.com

Deixe uma resposta